Consultas de rotina

1

Avalia-se sua história clínica, familiar e queixas atuais.

3

Estudo externo dos olhos e motilidade básica ocular, estuda-se com biomicroscópico de última geração a anatomia da pálpebra, cílios, conjuntiva, córnea, cristalino e humor vítreo.

5

Fundo de olho, rotineiramente avaliado com oftalmoscópio e lentes especiais ao biomicroscopio quando necessário.

7

Indica-se cirurgia quando necessário, avaliando a melhor técnica, tipo de laser quando necessário e pré avaliação ocular e clínica geral.

2

Avalia-se seu grau de visão, a prescrição de lentes por computadores rechecado pelo médico.

4

Mede-se a pressão intra-ocular para estudo preventivo de glaucoma.

6

Indica-se exames especializados pertinentes ao seu caso.

8

Prescrição de lentes corretoras, colírios medicamentos sistêmicos.

Sugere-se retorno ou nova consulta para melhor acompanhamento do seu caso.

Consultas por idade

Consultas de 0 à 10 anos

Sempre existe a preocupação de que as crianças por não saberem informar bem ao médico o que estão sentindo, tenham o seu exame oftalmológico prejudicado.

Vale, porém, dizer que os olhos são uns dos poucos órgãos em que o médico tem a sua visualização como um todo e que, por utilizar aparelhos sofisticados, é capaz de avaliar desde a necessidade de um simples óculos, até doenças importantes de fundo de olho sem precisar da informação do paciente. Por isso, é importante que a criança seja trazida ao médico o mais cedo possível.

É possível avaliar risco de tumores oculares, cicatrizes na retina, conjuntivites, glaucoma e catarata congênita.

Nos recém-nascidos, são comuns pequenas obstruções dos canais lacrimais que podem causar conjuntivites. Às vezes, a criança aparenta ter uma boa visão mas, na verdade, pode estar enxergando mal, já que está acostumada ao mundo da forma na qual ele se apresenta a ela.

Mais comum ainda é a criança apresentar um olho bom e o outro com alto grau, o que pode até permitir uma visão social normal porém, se o outro olho com grau muito forte não for diagnosticado, corrigido e exercitado opticamente, poderá se transformar num olho com visão extremamente baixa para o resto da vida. Ainda nesta fase é muito comum o aparecimento de estrabismo que pode ser corrigido com o uso de óculos ou, em alguns casos, com tratamento cirúrgico.

O importante é lembrar que se não for tratado de maneira precoce poderá acarretar a baixa visual para sempre. Em crianças mais próximas da idade escolar é fundamental a avaliação da acuidade visual pois, com o crescimento, podem surgir mudanças no grau que muitas vezes causam uma baixa visão e conseqüentemente o baixo aproveitamento escolar. É claro que de forma mais rara, existe um mundo de doenças congênitas e secundárias que podem atingir essa nossa primeira década.

Hoje o uso abusivo de telefone celulares, Ipad, jogos, etc, tem aumentado a incidência mundial de miopia.

Consultas de 10 à 20 anos

A Mudança de grau tende a ser mais rápida devido ao rápido crescimento. Por isso a importância de consultas no mínimo 1 x por ano, em certos casos a cada 6 meses.

Aqueles que iniciam o uso de lentes de contato devem manter uma boa limpeza e manutenção para evitar possíveis complicações.

Após 18 anos alguns casos podem ser submetidos cirurgias para correção da visão e retirada dos óculos com laser.

Sempre que houver qualquer alteração súbita de visão por conjuntivite, infecções no interior dos olhos, trauma ocular entre tantas outras coisas deve procurar imediatamente nosso serviço.

Consultas de 20 à 40 anos

Indica-se maior número de uso de lentes de contato e / ou cirurgias refrativas para corrigir grau dos óculos. Deve-se monitorar a pressão dos olhos como prevenção do glaucoma de forma mais constante, e avaliar mudanças no fundo dos olhos por possíveis doenças sistêmicas.

Consultas de 40 à 50 anos

Agora chegamos à famosa vista cansada. Isto, nada mais é do que a perda do ajuste de foco pelo olho, na visão de perto, o que nos leva a usar os famosos óculos da vovó. Esse grau é progressivo a cada ano e meio até os 60 anos. Nesta mesma fase, 4% da população desenvolve o glaucoma, que é o aumento da pressão interna dos olhos que, lentamente poderá levar a perda irreversível da visão de ambos os olhos por morte do nervo óptico, se não for tratada logo.

A avaliação da possibilidade de um glaucoma é feita pelo oftalmologista através de um exame chamado tonometria, que faz parte da rotina de nossa consulta. Nesta década, ainda é comum termos certas repercussões no fundo de olho de doenças sistêmicas como: hipertensão, diabete, alterações neurológicas, etc.

O exame de fundo de olho avalia não só um possível aspecto da doença como também o prognostico da mesma. Entre 40 e 50 anos, costuma-se aumentar o aparecimento precoce de catarata, muitas vezes em consequência do uso indevido de medicamentos, secundária a doenças sistêmicas e até a extrema exposição ao sol sem correta proteção. As cirurgias para correção de grau também apresentam excelentes resultados nesta faixa etária.

Consultas de 50 à 60 + anos

Nesta fase as doenças de base como catarata, diabetes etc., tornam-se evidentes. A mudança frequente de grau de óculos já pode estar mostrando a evolução de uma catarata. É bastante comum a flutuação da visão no decorrer do dia.

Hoje indica-se a cirurgia de catarata de formas mais precoce em casos que querem corrigir seu grau de forma definitiva ou querem evitar passar por uma perda mais significativa de sua visão ao ponto de causar dificuldade nas suas funções de vida no dia a dia. Existem inclusive lente multifocais que são implantadas durante a cirurgia de troca do cristalino natural onde ocorre a catarata que pode libertar você do uso dos óculos.

É necessário um acompanhamento e tratamento constante da retinopatia e diabética e hipertensiva bem como do glaucoma.

Nesta fase iniciam um grande número de pessoas a chamada degeneração macular racionado a idade que acarreta a perda da visão central (visão de detalhes) e que pode precocemente ser diagnosticada, tratada preventivamente aumentando a chance de preservação da visão.

Aquele paciente que foi submetido a consultas de rotina e tratamento preventivo deverá estar ainda com boa visão. Portanto, é triste ver que uma grande maioria já requer tratamento intenso para certas doenças que, poderiam ter sido melhor controladas nas décadas passadas. Devemos dar parabéns àqueles que, mesmo com tais problemas, mantêm muito bem sua visão. Pois, esta é a intenção da moderna oftalmologia.

Exames

Os exames oftalmológicos regulares são importantes para garantir que você continue desfrutando de boa visão e saúde ocular.

BAT/SSM (Bright Acuity Test)

Bat: mede sua visão em situações que se assemelham ao mundo real como em um dia ensolarado, nublado, interior de um shopping, residência e à noite. Detecta flutuações de visão que podemos ter de forma leve ou acentuada no decorrer do nosso dia/dia. Não requer dilatação. Prevê o uso de lentes com tons especiais para manter sua visão o mais estável possível.

Ssm (sun sensivit meter): mede computadorizadamente a sua resistência à luz solar e permite avaliar melhor a intensidade e tom da lente indicada para a proteção dos olhos, baseado na sua sensibilidade individual. Não requer dilatação pupilar.

Campo visual

É um mapa da função visual retiniana como um todo, avaliando não só doenças do olho, bem como vários problemas entre os olhos e o seu cérebro, é importante para diagnóstico e acompanhamento a longo prazo de vários tipos de tratamentos principalmente do glaucoma e doenças neurológicas. Demora cerca de 15 minutos, não dilata a pupila.

Filme lacrimal | tempo rotura | DTA

Com um conjunto de exames podemos estudar a característica de suas lagrimas, ou seja, volume de produção, tempo de rotura da mesma (entre cada piscar de olhos) nível de oleosidade, glândulas produtoras de componentes lacrimais, drenagens, etc. É um exame rápido e importante em pré e pós-operatórios, distúrbios de visão, sensação de corpo estranho, doenças reumática, cirurgia de catarata, cirurgia para correção do grau dos óculos, etc.

Gonioscopia

Através de uma lente especial, com espelhos angulados estudamos o ângulo formado entre a íris e a córnea, isto nos permite prever certos tipos de glaucomas e alterações anatômicas. Através dele podemos indicar o melhor tipo de tratamento clínico ou a laser bem como prevenir certas crises agudas. Demora poucos minutos, é indolor.

Microcospia especular

Estuda a qualidade e a quantidade das células internas da córnea (calota transparente anterior do olho). Estas células não se reproduzem no ser humano e diminuem com a idade, e com o uso abusivo de lentes de contato, porém estas reduções do número de células podem ter várias outras causas. Quando em número anormal optamos nas cirurgias pelo uso de substancias especiais, afim de preservá-las o máximo possível.

PAM

É um aparelho que permite na maioria dos casos prever se sua função visual, será boa após sua cirurgia de catarata, ou em certas doenças oculares, pois emite um raio luminoso por entre as opacidades do cristalino medindo na maioria das vezes sua acuidade visual. É indolor e pode requerer a dilatação das pupilas.

Pentacan

É uma topografia de córnea mais avançada que muitas vezes desempata a suspeita de doenças coneanas em exames topográficos de rotina. Importante no diagnóstico de ceratocone, afilamentos e edemas corneanos, realiza também analise de frente de ondas (distorções do caminho da luz) intraocular. Não requer dilatação da pupila.

Teste ortóptico

É realizado por um profissional (ortoptista) que vai medir força dos músculos dos olhos bem como a existência de um possível desvio dos mesmos. É básico nos casos de estrabismo e permite aplicar uma série de exercícios quando existe qualquer desequilíbrio nesta musculatura. Quanto ao tempo de tratamento, nos casos simples este dura em média 2 a 3 semanas, com algumas sessões na clínica associado com exercícios em casa.

Topografia corneana

É o maior avanço diagnóstico dos últimos tempos. Consiste em um computador que videografa seu olho analisando milhares de pontos em um mapa detalhado de sua córnea. É fundamental para pré-avaliação e acompanhamento de cirurgia de miopia, astigmatismo, hipermetropia, transplante, catarata, etc... Além de permitir o diagnóstico precoce de algumas doenças de córnea tais como o ceratocone. É o guia mais perfeito para uma boa adaptação e controle de lentes de contato. É fundamental no pré e pós-operatório pós cg refrativas para acompanhar de forma segura sua cicatrização até sua alta final. Não requer dilatação pupilar.

Visão sub-normal

Realizado por um profissional que vai utilizar lentes especiais com o intuito de contornar o déficit visual que você apresenta. É necessário paciência e boa vontade de aprender o uso destes tipos de óculos, pois com eles normalmente consegue-se melhorar sua pouca função visual. O tempo de adaptação é variável e depende do seu esforço.

Biometria

É um ultrassom ou raio infravermelho que é capaz de medir o tamanho do olho (para o cálculo do implante de lente na catarata, em cirurgias de altas miopias e em cirurgias de hipermetropia), através de formulas matemática realizadas por computador. Não requer dilatação.

Curva tonométrica

É a medida da pressão ocular, várias vezes ao dia no intuito de detectar um possível pico da pressão além dos níveis normais.

Foto biomicroscópica

É uma foto em alta magnificação de sua córnea, íris, cristalino, para servir de acompanhamento e guia futuro em determinadas patologias, cicatrizes, pós-cirúrgias, entre tantas indicações. Normalmente não requer dilatação pupilar.

Mapeamento de retina

Consiste na avaliação do seu fundo de olho, com um aparelho que nos dá uma visão panorâmica do mesmo. É rápido, totalmente indolor sendo, porém necessário a dilatação das pupilas com colírio próprio. O exame em si leva poucos minutos, pois através dele vemos diretamente possíveis alterações que possam existir. Passado o efeito da dilatação você pode exercer suas funções normalmente. Lembre-se sua permanência na clínica depende do ponto ideal de dilatação de sua pupila, ou seja, como ela responde de forma rápida ou lenta aos colírios utilizados para atingir um nível que permita seu exame.

OPD

Exame de última geração que analisa vários parâmetros de uma só vez. Diâmetro pupilar, topografia de córnea e cristalino, wave front, glare test, refração de grau dos olhos, acuidade visual, opacidade do cristalino (catarata), ângulo de visão (kappa) entre tantos outros. É um exame rápido e não requer dilatação da pupila. Usado para doenças diversas, e pré e pós operatório de cirurgia de catarata e cirurgia para retirar o óculos.

Paquimetria ultrassônica

Mede a espessura de nossa córnea para cálculo e ajustes de instrumentos em caso de cirurgias de miopia, hipermetropia, astigmatismo, bem como no acompanhamento de certas doenças corneanas. Não requer dilatação.

Retinografia

São fotos do seu fundo de olho. Nelas ficam guardadas as possíveis alterações no presente que poderão servir de base para melhor acompanhamento de seu caso por toda a vida. É um exame ultrarrápido e indolor, pode requerer, porém em alguns casos dilatação por meio de colírios o que determina sua permanência na clínica por um período maior que será determinado pela resposta de sua pupila a estes colírios.

Tomografia de coerência óptica OCT

A tomografia de coerência óptica é um exame baseado na interferometria óptica, capaz de mostrar em alta resolução as camadas da retina, nervo e coroide, além do segmento anterior (córnea, íris e cristalino). Não invasivo e sem necessidade de contato, trata-se do maior avanço na oftalmologia da última década. É de grande auxílio no diagnóstico e acompanhamento de doenças retinianas e do nervo óptico. É útil no acompanhamento de pacientes com glaucoma, degeneração macular relacionada à idade, edemas no fundo do olho, mácula, diabetes. O procedimento é um método de diagnóstico rápido, não invasivo, indolor, não contato, transpupilar, realizado com o mínimo desconforto para o doente, de alta resolução (2 a 13 micrometros). Realizado sob dilatação ou não.

Ultrasonografia ocular

É um tipo de ultrassom que desenha o olho como um sonar. Permite enxergar o polo posterior do olho e suas cavidades mesmo quando o olho do médico está impedido de fazê-lo. Utiliza-se em cataratas fechadas, descolamentos, hemorragias, moscas volantes, uveites, tumores, etc. Se for feito sozinho não necessita à dilatação pupilar. É um exame rápido, indolor e que só requer as vezes o uso de colírio anestésico. O resultado é imediatamente visto por você e pelo médico na tela do computador.

Cirurgias

Em nosso instituto seus olhos serão avaliados por computadores e microscópios especiais para verificar a possibilidade mais adequada e segura para o caminho da liberdade dos óculos.

Argon laser

O argon laser é um dos mais confiáveis no tratamento de doenças no fundo do olho, retinopatia diabética, doenças vasculares, descolamento de retina, glaucoma, tumores, inflamações, plástica de íris, patologias da conjuntiva, pálpebras e cílios.

Ceratectomia foto refrativa (PRK)

A cirurgia a laser é uma realidade a ser utilizada no tratamento da miopia, hipermetropia e astigmatismo. A aplicação de laser dura segundos e o tempo total da cirurgia gira em torno de 5 a 7 minutos. É aplicada sobre a córnea uma carga de excimer laser, uma luz ultravioleta que “dissolve” camadas microscópicas de seu tecido, deixando-a em condições de ajustar a imagem com melhor foco na sua retina.

Cirurgia de glaucoma

Em casos leves podemos indicar a trabeculoplastia que consiste com o laser de argônio micro queimar o local onde é drenado o líquido do interior dos olhos, demora poucos minutos.

Iridotomia c/ laser de argônio ou yag laser consiste em fazer um micro- furo na íris para prevenir risco de glaucoma agudo em alguns casos.

Trabeculectomia, cirurgia sob anestesia local onde abre uma drenagem na córnea permitindo a saída do liquido humor aquoso para debaixo da conjuntiva (membrana brilhante dos olhos) indicado em casos rebeldes ao tratamento com colírios e lasers.

Colocação de micro stents e bolsas de drenagem em casos refratários aos outros tipos de tratamento.

Cirurgia de retina

Existem várias técnicas para correção do descolamento da retina desde a injeção de gás especial no interior dos olhos, passagem de cintas externas de silicone até as chamadas vitrectomias onde aparelhos especiais trocam o gel interior dos olhos chamado humor vítreo.

Estrabismo

O estrabismo é uma alteração da posição dos olhos. Existem casos em que a correção é feita apenas com exercícios e óculos, mas outros casos exigem a correção cirúrgica.

A cirurgia consiste em reposicionar os músculos dos olhos para que os mesmos fiquem em um alinhamento correto. A cirurgia hoje em dia não necessita de internação e é realizada com anestesia local.

Implante de anel intracorneano (ceratocone)

O implante de anel intracorneano é uma das formas de correção de ceratocone.

A cirurgia é realizada com a tecnologia mais moderna de cortes a laser (femto second) e é indicada quando a correção do quadro não se mostra satisfatória como o uso de lentes de contato ou óculos.

É um passo anterior a indicação de transplante de córnea e indicado apenas após uma detalhada avaliação de cada caso.

Realizada com anestesia tópica e com retorno imediato do paciente para casa.>/

Injeção intra- vitrea

Hoje de forma rápida e indolor injetamos medicamentos altamente evoluídos no interior dos olhos para tratar degeneração maculares (dmri) doenças vasculares da retina, retinopatia diabetes, hemorragias vítreas, infecções intraoculares.

Transplante de córnea

O transplante de córnea é um procedimento realizado no tratamento de várias doenças da superfície ocular. As mais comuns são o ceratocone, cicatrizes corneanas, e doenças infecciosas da córnea, pós traumas, pós cirurgias.

É um tratamento bem estabelecida na oftalmologia e depende da doação de órgãos e tecidos. Atualmente a fila de transplantes sofreu uma diminuição importante graças as políticas de saúde pública e incentivos privados.

Anteriormente realizada exclusivamente com técnicas manuais, hoje pode utilizar as modernas lâminas mecanizadas ou os cortes a laser.

Cada caso deve ser avaliado individualmente.

Catarata femto laser

É o ultimo avanço em laser para oftalmologia e o seu uso na catarata vem aumentando a precisão de fase cirúrgicas tais como a abertura da córnea, da capsula do cristalino (capsulorherxis) e fratura do núcleo do cristalino.

Ceratotomia com laser

O astigmatismo pode ser puro ou associado à miopia ou hipermetropia. Pode ser tratado por uma técnica em que também é utilizado o bisturi de diamante. As incisões são normalmente curvas, feitas ao redor de um mesmo eixo da córnea.

Cirurgia de pterígio

O pterígio é um espessamento vascularizado da conjuntiva (superfície dos olhos) de forma triangular que se estende do ângulo interno (nasal) do olho em direção à córnea. Este tecido normalmente aparece em olhos que são muito expostos a luz do sol, poeira e poluição.

Não é infeccioso, mas pode afetar a visão.

Alguns casos podem ser tratados com colírios ou cauterizados com laser.

A cirurgia de retirada pode ser realizada com várias técnicas diferentes, sendo mais importante proteger o olho após o procedimento para evitar a recidiva.

Cross – link

Tratamento indicado para tentar reter o avanço do ceratocone (protrusão da córnea e em alguns casos enfraquecimento das córneas por trauma, cirurgias e ou infecções.

Consiste em pingar um colírio de riboflavina e utilizar uma luz especial sobre a córnea que (facilita impregnar seus tecidos aumentando sua resistência e endurecimento). Tempo aproximado do tratamento é de 30 minutos.

Femto lasik (lasers assisted in situ Keratomileusis)

Para casos especiais podemos micro cortar a córnea com a femto laser levantando uma micro camada superficial, da mesma em torno de 140 mícron, e sob ela evaporar células da córnea corrigindo o grau de sua visão. Como no prk.

Também utilizada no tratamento dos principais vícios de refração. O processo é semelhante ao prk, porém o laser é aplicado sob uma micro camada (uma espécie de “tampa”). Após a intervenção, esta capa é recolocada e, rapidamente, o próprio olho se incumbe de regenerar o tecido e cicatrizá-lo. Esta técnica é utilizada preferencialmente em graus elevados. É uma cirurgia um pouco mais complexa e demorada, porém sua recuperação pode ser mais rápida e indolor. Hoje utilizamos o femto laser evitando o uso de laminas para corte.

Implante de lente intraocular

Indicação para correção do grau ou cirurgia de catarata. Para os casos de grau muito elevado ou contra-indicados aos procedimentos realizados na córnea, existem as cirurgias de implante de lente intraocular.

Estas lentes são implantadas na frente da íris (lentes especiais de artisan).

Em casos que o paciente já apresente o início de catarata é indicado o procedimento de faco-refrativa (cirurgia de catarata com implante de lente para correção de grau), e em todas as cirurgias são indicadas as lentes intraoculares, desde as simples, as que também podem corrigir o astigmatismo e multifocais.

Plástica ocular

A especialidade de plástica ocular, ou oculoplastica, existe no brasil desde a década de 60 e, assim como as outras áreas da medicina, acumulou avanços e aprimoramentos técnicos nos últimos anos permitindo melhores resultados.

A filosofia do cirurgião plástico em oftalmologia é respeitar e preservar a integridade do olho, mantendo a funcionalidade da região periocular e, seguindo uma tendência mundial, tem agregado conhecimentos estéticos visando oferecer rejuvenescimento além de tratar patologias.

As cirurgias necessárias são avaliadas dependendo da alteração presente e incluem defeitos funcionais como, por exemplo, entrópio (rotação da pálpebra em direção ao olho), ectrópio (eversão da pálpebra), ptose (queda da pálpebra), dermatocalase (excesso de pele) e prolapso de gordura (bolsas palpebrais) que terminam por ocasionar defeitos estéticos. Assim como outros desgastes do envelhecimento facial, como as rugas de expressão, que criam condições desagradáveis, mas passíveis de tratamento.

O rejuvenescimento da área dos olhos recupera notavelmente uma expressão mais leve e reanima a autoestima, não existindo uma idade ideal para a cirurgia, mas sim, a oportunidade ideal. Essa oportunidade é determinada pela presença do defeito a ser corrigido e diagnóstico correto.

Yag laser

Plenamente utilizado para microincisões no interior dos olhos, nos pós-operatórios de catarata e em alguns tipos de glaucoma.

Lentes de contato - Indicações

As diversas ametropias podem ser corrigidas através do uso de óculos, lentes de contato ou através da Cirurgia Refrativa.

O Instituto Eduardo Paulino oferece as mais renomadas marcas de lentes de contato, oferecendo várias opções para a correção das várias ametropias:

  • Lentes gelatinosas de uso diário e uso prolongado (descartáveis).
  • Lentes gelatinosas tóricas de uso diário e uso prolongado (descartáveis).
  • Lentes rígidas de alta permeabilidade ao oxigênio - siliconadas e fluorcarbonadas.
  • Lentes bifocais.
  • Lentes para ceratocone.
  • Lentes cosméticas (coloridas).
  • Lentes esclerais (o mais recente avanço de tratamento de ceratocone e doenças do córnea).

Como cuidar das suas lentes de contato

  • Mantenha sempre o protetor do ralo na pia ao manipular as lentes.
  • Mantenha suas mãos e unhas sempre limpas.
  • Para prevenir confusões, sempre manuseie primeiro a lente direita, evitando assim a troca de lentes.
  • Limpe semanalmente o estojo de conservação com água e sabão. Recomenda-se que o mesmo seja trocado a cada 6 meses.
  • Para o enxágue das lentes deve-se usar soluções apropriadas, podendo também ser usado soro fisiológico 0,09%. Não esqueça que o frasco do soro aberto que não estiver sendo usado deve ser sempre conservado em geladeira e descartado em no máximo sete dias.
  • Não utilize água de torneira para a limpeza das lentes.

Dicas importantes

  • Toda lente de contato movimenta-se no olho a cada piscar, podendo em alguns casos deslocar-se. Caso isso se repita muito ou se a lente sair do olho com frequência, avise seu médico.
  • Receita de óculos não é receita de lentes de contato. As características da sua lente são obtidas após um teste e exames especiais.
  • Todo usuário de lentes deve ter um óculos, para ser usados em situações inesperadas (perda de lente, conjuntivites, irritações) e também para uso em casa quando não estiver com lentes.
  • Dormir com lentes de contato aumenta o risco de complicações, tais como ulcera de córnea.
  • Nem todas as lentes chamadas de uso prolongado são adequadas para uso durante o sono.
  • O uso de óculos escuros sobre as lentes de contato não é obrigatório, mas pode trazer mais conforto durante o uso em ambientes muito claros. Devido ao alto risco de contaminação, deve-se evitar o uso de lentes em saunas.
  • O uso de lentes em aviões deve ser evitado em função do ressecamento causado pelo ar condicionado e pela baixa umidade.

Lentes de contato - Lentes Esclerais

As Lentes Esclerais são lentes de contato especialmente desenvolvidas para pessoas portadoras de anomalias na córnea como a síndrome do olho seco, córneas irregulares, incluindo traumas corneanos, degeneração marginal pelúcida, ceratoplastias penetrantes, pós Lasik e RK e principalmente o Ceratocone.

Elas são muito semelhantes às lentes de contato Gelatinosas, com um diâmetro maior que se adapta à esclera (a parte branca mais externa à córnea). O espaço entre a córnea e a lente escleral é preenchido pelo “filme lacrimal”, propiciando uma adaptação muito mais confortável, mesmo em pacientes que possuem muita sensibilidade.

As lentes Esclerais Proporcionam uma Verdadeira mudança de vida aos pacientes graças a maneira revolucionária de tratar as distorções e corrigir ametropias proporcionando um conforto excepcional. Quando há uma boa adaptação do paciente à lente, automaticamente se afasta a necessidade do transplante de córnea.

Ajuste ideal

A lente deve se alinhar à córnea com livramento de 100 micra. Não deve haver quaisquer bolhas sob a tampa óptica (sag muito alto) ou sobre o limbo (sag muito plano). A lente terá pouco movimento ou nenhum. Além disso, a atenção deve ser observada na periferia. Não deve haver qualquer impacto conjuntival e nem elevação excessiva da borda.

Características e benefícios

  • Desenho com curvas múltiplas que se adaptam a córneas com topografias irregulares.
  • Maior estabilidade.
  • Menor sensação palpebral.
  • Excepcional conforto para o paciente.
  • Facilidade de adaptação.
  • Excelente acuidade visual.
  • Lentes incrivelmente limpas, resistentes à deposição de proteínas.
  • Alta satisfação dos usuários.

Qualidade e conforto visual

Com diâmetros variáveis que começam em 16.0mm e um desenho com curvas múltiplas, a lente cobre completamente a córnea, sem tocá-la, além de permitir máxima oxigenação, perfeita estabilidade e excepcional conforto.

Convênios


Se você tiver alguma dúvida, ligue para nós (13) 3477-9000 ou agende agora sua consulta