Sexta, 26 Maio 2017 17:48

26 de Maio é o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma

26 de Maio é o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma

 

O dia 26 de maio é dedicado ao Combate Nacional ao Glaucoma. A doença é considerada a maior causa de cegueira irreversível no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). O problema atinge cerca de 65 milhões de pessoas no planeta e é o motivo de 4,5 milhões de casos de perda total de visão, de acordo com a Associação Mundial do Glaucoma.

O glaucoma é uma doença ocular capaz de causar cegueira, se não for tratada a tempo. No Brasil, mais de 900 mil pessoas têm a doença e 80% dos glaucomas não causam dor ou incômodo no início. Por ser uma doença crônica e que não tem cura, na maioria dos casos pode ser controlada com tratamento adequado e contínuo. Quanto mais rápido for o diagnóstico, maiores serão as chances de se evitar a perda da visão.

Silencioso, para ser detectado, é preciso prevenir. Portanto é necessário um exame oftalmológico cuidadoso em que o médico faz a medida da pressão intraocular, o exame do fundo de olho e, quando necessário, o campo visual.

 

Existem fatores de risco que favorecem o aparecimento da doença, como idade avançada, hipertensão arterial, miopia elevada, raça negra e hereditariedade (transmissão para pessoas da mesma família). Há, no momento, uma ampla discussão sobre a possibilidade do “diabetes mellitus” ser ou não um fator de risco.

Dia Nacional de Combate ao Glaucoma é uma data propícia às reflexões sobre esta doença, principalmente, em como ela afeta a qualidade de vida dos pacientes que são acometidos por este mal. De acordo com Frederico Franco especialista em glaucoma do ISO Olhos, prevenir a cegueira ainda é um dos grandes desafios da oftalmologia, pois no Brasil ainda não existe a consciência da gravidade do glaucoma.

“Durante muito tempo, acreditou-se que a Pressão Intraocular (PIO) alta era a principal causa desse dano ao nervo óptico. Embora a pressão alta seja claramente um fator de risco, atualmente, é sabido que outros fatores também devem ser levados em conta, como o exame do nervo óptico”, afirma o médico.