whatsapp - Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Brasil tem alto índice de alergia, diz OMS. - Eduardo Paulino

Brasil tem alto índice de alergia, diz OMS.

17 de outubro, 2018

Sete em cada 10 alérgicos tem manifestação nos olhos e usam colírio com corticoide por conta própria. Entenda o risco.

No Brasil 30% da população tem algum tipo de alergia e 7 em cada 10 alérgicos manifestam a doença nos olhos, segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI). Para o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto isso esclarece o incremento apontado pelos prontuários do hospital de 25% no uso indiscriminado de colírio com corticoide nesta época do ano. “O ar seco da primavera concentra grande quantidade de pólen, ácaros e poluentes. Por isso facilita a manifestação de diversos tipos de alergia que desencadeiam a conjuntivite alérgica”, afirma.

Para piorar, o relatório 2018 que acaba de ser divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostra que no Brasil a asma entre crianças e adolescentes é uma das mais altas do mundo com 20% de prevalência. Este índice sobe para 23% na faixa etária de 18 a 54 anos, mas só 12% têm acesso a acompanhamento médico.

Risco dos colírios

Para Queiroz Neto isso explica a automedicação dos pacientes neste período do ano. Todo alérgico, observa, sabe que os corticoides aliviam rapidamente a coceira, principal sintoma de todo tipo de alergia, inclusive nos olhos. “O colírio com corticoide pode ser comprado nas farmácias sem receita, mas o uso prolongado causa glaucoma” salienta. O pior é que a pessoa não percebe que está perdendo a visão porque o processo é lento e não provoca desconforto nos olhos. Quando busca por consulta já tem comprometimento irreversível do campo visual provocado pela morte de células do nervo óptico. Invariavelmente vai ter de usar mais de um colírio/dia para evitar a perda definitiva da visão.

Grupos e fatores de risco

O oftalmologista afirma que um dos principais grupos de risco para desenvolver doenças alérgicas são as crianças. Isso porque estão com o sistema imunológico em desenvolvimento e toda alergia é uma resposta exagerada deste sistema a uma substância estranha ao organismo. Quando uma criança precisa tomar antibiótico antes dos seis meses, ressalta, também tem mais predisposição a se tornar um adulto alérgico porque o medicamento desregula a imunidade.

Outros grupos de risco são as mulheres frequentemente expostas aos cosméticos na área dos olhos e os idosos por causa da diminuição da lágrima que protege a superfície dos olhos das agressões externas.

Tratamento

Queiroz Neto ressalta que o tratamento da conjuntivite alérgica depende da gravidade. Pode incluir desde colírios estabilizadores, até anti-histamínicos, corticoides e em casos extremos ciclosporina, medicamento imunossupressor que interrompe o funcionamento do sistema imunológico.

O colírio com corticoide, adverte, nunca deve ser usado sem supervisão médica porque não pode ser interrompido bruscamente para evitar efeito rebote. É muito importante, ressalta, evitar coçar os olhos, porque a fricção pode desencadear o ceratocone, doença responsável por 70% dos transplantes no Brasil que afina e deforma a córnea. A dica do médico para aliviar a coceira é aplicar sobre os olhos fechados compressas de gaze embebida em água filtrada e fria.

Prevenção

Queiroz Neto afirma que alguns hábitos e alimentos evitam o ressecamento da lágrima e por isso podem diminuir as crises de alergia nos olhos. Os principais são:

  • Frutos e legumes ricos em vitamina A – cenoura, mamão, manga, agrião, couve.
  • Fonte de vitamina E – nozes, amêndoas, manteiga, gérmen de trigo.
  • Incluir na dieta alimentos que contém ômega 3 – semente de linhaça, sardinha, bacalhau e salmão.
  • Evitar carne bovina, carboidratos e gordura.
  • Proteger os olhos do vento, poeira, fumaça e produtos em spray.
  • Eliminar o uso de aquecedor de ambiente que retira a umidade do ar.
  • Evitar o uso de travesseiros de pena e produtos em pó.
  • Manter os ambientes livres de poeira e com vasilha de água para hidratar o ar.
  • Beba água com frequência para hidratar o corpo.

Por: José Mulser

POSTS RECOMENDADOS

Pesquisas com algas em andamento para tentar curar um tipo de cegueira. - Eduardo Paulino

Pesquisas com algas em andamento para tentar curar um tipo de cegueira.

A Retinose Pigmentar é um grupo de distúrbios genéticos que afetam a retina, e causa uma degeneração da visão....

Veja o post
Sarampo pode cegar o bebê - Eduardo Paulino

Sarampo pode cegar o bebê

A Organização Mundial da Saúde (OMS) coloca o Brasil entre os países com menor orçamento para a saúde. Pior,...

Veja o post
Residência Médica e Estágio 2021 - Eduardo Paulino

Residência Médica e Estágio 2021

O Instituto de Olhos Eduardo Paulino e a Clínica Refraktum abrem inscrições para o Programa de Residência Médica em...

Veja o post

Se você tiver alguma dúvida, ligue para nós (13) 3477-9000 ou agende uma consulta

CONVÊNIOS

Convênio MED ABMD – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio AMAFRESP – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio AMBEP – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio AMIL – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio  BRADESCO SAÚDE – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio CAASP – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio CABESP – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio CASSI – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio CRECISP – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
 Convênio Caixa de previdência de Cubatão – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio GAMA SAÚDE – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio ITAU SAÚDE – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio Mediservice – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio NIPOMED – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio Saúde Petrobras – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio Porto Seguro – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio Postal Saúde  – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio SINPRAFARMA – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio Sul América – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio Unimed – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio Unisaúde  – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio VIVEST – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio bem.care – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
 Convênio FSFX – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio SINCOMERCIARIOS – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
 Convênio Dr Benefício – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio CAPEP SAÚDE – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino
Convênio Cartão Fidelidade – Instituto de Olhos do Eduardo Paulino

CONVÊNIOS